it-swarm-pt.tech

diretrizes para criar visualizações interativas para a exploração de conjuntos de dados?

Alguém conhece alguma orientação na criação de visualizações interativas para a exploração de conjuntos de dados?

Posso encontrar muito material sobre por que determinadas instâncias são boas ou ruins, mas o processo de design real de projetar uma visualização interativa parece ser uma arte negra.

8
Stephen

Seu foco não é criar "uma visualização de informações", mas ajudar seus usuários a concluir determinadas tarefas ou atingir determinados objetivos. O design de uma visualização de informações depende do que você deseja que seus usuários façam com a visualização.

(Talvez seja por isso que os casos sobre os quais você leu são sobre se as ferramentas são "boas ou ruins". A visualização existe para ajudar os usuários, para que não existam por si só; portanto, avaliar um e projetar um não pode realmente ser separado de o que se pretende fazer.)

O design não é uma arte negra: é uma arte acinzentada que você pode aprender e praticar. Existem muitas maneiras de conhecer seus usuários, saber o que eles querem fazer (e como eles já fazem ou não fazem) e testar a melhor forma de ajudá-los. Se você usa análise de tarefas, entrevistas, estudos de caso, protótipos em papel ou qualquer outra coisa, seu objetivo é ajudá-los. Esses métodos são os mesmos que você usaria para criar uma interface de não visualização, porque são sobre pessoas e tarefas.

Por exemplo, no LiveRAC , os gráficos do tráfego da Web não foram realmente criados para "serem uma visualização dos dados de carga da CPU", tanto quanto foram feitos para ajudar os administradores de sites a responder perguntas sobre o tráfego do servidor e identificar qualquer problemas ou oportunidades com isso. O artigo sobre o LiveRAC aborda como os autores identificaram quem eram seus usuários, o que eles precisavam ser feitos, quais dados poderiam ser relevantes e como a infovis do LiveRAC foi feita para ajudar.

Se uma infovis faz parte de como você espera ajudar seus usuários, dê uma olhada nas notas de alguns cursos sobre design de visualização para obter considerações sobre design e práticas recomendadas em relação a cores, ângulo, legibilidade e gráfico , etc. Novamente, não é uma arte negra, mas algo sobre o qual você pode ler e brincar.

5
lucasrizoli

Usei o seguinte livro como aluno de graduação e o achei informativo: Design de Visualização da Informação para Interação de Robert Spence

Aqui estão alguns conceitos chave de alto nível:

  • A maneira como os dados devem ser representados e apresentados depende do tipo de dados e de como eles devem ser entendidos pelo visualizador.

Por exemplo, a maneira como você apresentaria a densidade populacional e o tamanho respectivo ao local pode ser muito diferente de como você apresentaria um mapa ferroviário de transporte público. Ambos apresentam informações relacionadas aos locais, mas cada um tem seu próprio foco desejado.

Para o primeiro exemplo, você pode usar um mapa de escala real com cores para representar a densidade e o tamanho do ponto para representar o tamanho da cidade. Com um mapa ferroviário, a precisão fiel à escala pode ser abandonada por uma questão de compreensão e a cor pode ser usada para representar as diferentes 'linhas' de viagem.

Nos dois casos, eles seriam considerados 'mapas', mas na inspeção seriam coisas muito diferentes.

  • Quanto mais perto você chegar da percepção do espectador (pense "de relance") à interpretação desejada, menor será a probabilidade de interpretação incorreta dos dados.

Por exemplo, com um milhão de dados plotados em um gráfico de dispersão, o uso de cores pode ser empregado para exibir 'nuvens' de pontos de dados com o mesmo atributo. Se houver menos de 8 cores usadas dessa maneira, isso poderá exibir efetivamente os dados dos padrões. Se houver muitas cores usadas, no entanto, isso seria menos eficaz devido às limitações humanas de como percebemos as diferenças de cores. Dados em azul escuro e roxo são efetivamente a mesma coisa em um grupo maior de (10+) cores, levando o espectador a ver nuvens de dados onde não há.

O livro entra em mais detalhes sobre mais facetas de Representação, Apresentação, Percepção e Interpretação. Se seu objetivo a longo prazo é criar visualizações interativas, recomendo que você use um recurso como esse para entender a 'teoria'.

Se você está procurando algo mais "rápido e sujo" para realizar o trabalho uma vez - ou seja, se você está menos preocupado em entender a teoria por trás da apresentação de dados e mais interessado em uma apresentação única - mais alguns detalhes sobre seus dados específicos seriam úteis.

1
Peach

Eu recomendo o livro de Alberto Cairo - " A arte funcional ". Seu site tem muitos recursos e ele é muito ativo nas mídias sociais. Uso os materiais dele para palestras, porque são fáceis de entender e abrangem todo o processo, desde a compreensão visual, a codificação de informações para o público-alvo e a compreensão dos dados.

Outra fonte boa e profunda é o livro "Visualização da informação: percepção para o design" - Colin Ware Este livro analisa mais profundamente como a percepção funciona e sobre técnicas avançadas para codificar informações para visualização.

Não existe, digamos, um guia rápido de 10 etapas para a visualização interativa, porque você abordará muitos desafios em termos de percepção humana e design de interação, compreensão dos dados, suas agregações e localização/narração da história em seus dados, ...

Portanto, essas duas recomendações de livros são apenas duas dentre muitas.

0
Stefan Wasserbauer