it-swarm-pt.tech

Melhor sistema de arquivos para servidor de mídia?

Preciso de alguns conselhos sobre qual sistema de arquivos usar para meu novo servidor de mídia de 1 TB hospedado em minha caixa Linux. Tenho alguns requisitos:

  1. Precisa ser compartilhável com uma máquina Windows diferente (não com inicialização dupla, caixa totalmente diferente). Vejo que pode haver pelo menos opções para fazer isso com ext3, e como acho que esse será um cenário bastante raro, posso conviver com isso.

  2. Definitivamente, precisa ser capaz de ser acessado via Samba no meu Xbox executando o XBMC (e compartilhar com um Xbox 360 pode ser no futuro).

  3. Precisa permitir um tamanho de arquivo maior que 4 GB.

  4. Precisa ser compartilhável com quaisquer servidores de mídia/front-ends futuros que eu construir (todos estariam executando uma variante do Linux, como Boxee, XBMC, Myth *).

Eu estou supondo que Fat32 está fora de questão devido ao requisito de tamanho de arquivo, e embora eu já tenha usado NTFS antes, prefiro algo nativo do Linux. Estou aberto a quase tudo, obrigado.

5
Greg Noe

Dado que todo o acesso ao sistema de arquivos de sistemas não Linux será por meio de uma camada de abstração, escolha o que quiser! Eu sugiro o padrão da sua distro (ext3 provavelmente). O armazenamento de mídia não tem necessidades especiais em termos de velocidade ou confiabilidade, portanto, você apenas adicionará complexidade desnecessária escolhendo um sistema de arquivos exótico. Em termos dos casos de uso específicos que você mencionou:

  • O Vista inclui um cliente NFS e, claro, você também pode compartilhar a unidade via Samba. Se você quer dizer acesso físico direto ao drive, eu mudaria minha recomendação para o sistema de arquivos para NTFS, já que ele tem a melhor compatibilidade entre plataformas Windows e Linux.
  • Qualquer sistema de arquivos funciona aqui - o Samba abstrai isso do que o cliente vê.
  • Só não escolha FAT32!
  • Qualquer sistema de arquivos atual não exótico ficará bem aqui. Mesmo os sistemas de arquivos 'exóticos' como XFS/JFS serão suportados no kernel por muitos anos.
5
Alex J

Eu uso o XFS no meu servidor MythTV e funciona muito bem. Também compartilhei certos diretórios por meio do Samba para que minhas estações de trabalho Windows possam ter acesso a eles. Eu tenho um script que transcodifica mostra em um formato utilizável em meu iriver clix2, que despeja em um diretório que mapeio de meu laptop Windows e transfiro para o media player. Uma das coisas mais legais sobre usar o XFS para um servidor de mídia é que o XFS tem um defragger, já que manter esses arquivos muito grandes sequenciais naquele drive SATA sem dúvida é uma boa ideia.

Uma sugestão que me ajudou é usar a opção de montagem "alocsize = 256m" para XFS. Isso diz ao kernel para alocar blocos de 256 MB de espaço ao gravar um arquivo. Como os programas de SD estão consumindo 2,2 GB/hora em meu equipamento, isso reduz o frag significativamente. Os poucos programas em HD que consegui gravar estão na ordem de 15 GB/hora, e meu sistema de arquivos não piscou para isso. Piscaria ainda menos se eu estivesse executando 64 bits.

O suporte a XFS é relativamente novo na terra do Linux, mas no 2.6.30 ele já existe há muito tempo. Não tive nenhum problema de corrupção com ele em casa ou no trabalho. Não é tão quente para I/O maciçamente aleatório em drives SATA, como a carga que o VMWare Workstation coloca (ahem), mas para acesso sequencial ele fere.

Estou ativamente nos estágios de planejamento de configuração de outro servidor de mídia na sala dos fundos para complementar o armazenamento na caixa do codificador. Também será XFS, mas compartilhado por NFS para a caixa MythTV para mínimo overhead de rede. Ele pode ir ext4, mas eu não fiz nada com isso FS ainda.

3
sysadmin1138

O XFS é melhor para armazenar vídeo porque é muito estável e tem excelente suporte a arquivos grandes. Nem é mais exótico.

O compartilhamento (com outro computador) não está relacionado ao sistema de arquivos.

Basicamente, se você estiver compartilhando com o Windows - escolha Samba porque é mais fácil.

Embora o Samba funcione bem, se o XBMC for seu foco, você também pode considerar o UPNP (DLNA).

DLNA é projetado EXATAMENTE para compartilhar mídia em uma rede, existem várias opções para Linux - como mediatomb ou ushare.

mediatomb.cc

ushare.geexbox.org

Resumo: Use XFS para a partição de mídia e Samba ou DLNA para compartilhamento.

/ Richy

3
Rich

O Samba deve ser capaz de se comunicar com seus front-ends de windows boxen e myth, mas não se importa em qual sistema de arquivos seus dados estão armazenados, desde que possam ser lidos pelo kernel. Eu escolheria o que quer que seja o padrão para a distro que você está instalando.

Ext3 pode definitivamente acomodar arquivos> 4 GB. Se você for armazenar arquivos grandes principalmente, existem alguns parâmetros de ajuste que você pode definir para tornar isso mais eficiente.

2
jay_dubya

Para um sistema de arquivos que terá principalmente arquivos grandes, eu recomendaria usar o XFS. Possui ótimo desempenho para arquivos grandes e é muito maduro. Vale a pena mencionar o JFS, também e tem desempenho semelhante ao XFS e é tão maduro.

No entanto, dependendo da sua distro, pode ser bom colocar o sistema de arquivos em cima do LVM para que você possa expandir seu armazenamento perfeitamente. Indo um passo adiante, colocaria o sistema de arquivos no LVM no topo de uma matriz RAID. Dessa forma, você ganha tolerância a falhas e desempenho, enquanto mantém sua capacidade de escalar.

Outra opção para armazenamento direto (além da recomendação NFS de Alex) é usar iSCSI. Exporto armazenamento para minhas caixas Windows e Linux via iSCSI usando iSCSI Enterprise Target. Se não houver necessidade de acesso direto, o samba resolverá o problema. Apenas não exporte pelo armazenamento samba que você importou pelo NFS; você terá problemas de bloqueio de arquivo.

1
Gazzonyx